quarta-feira, 30 de setembro de 2015

MODO E ORDEM PARA ACENDER E APAGAR AS VELAS DO ALTAR

Por Blasius Ludovicus

Na Forma Extraordinária o simples ato de acender e apagar as velas do altar supõe certa cerimônia. Não é e nem pode ser uma ação indistinta ou corriqueira. Por isso, vamos apresentar o modo e a ordem para acender as velas do altar, de acordo com as situações, com ou sem relíquias e candelabros.

De acender e apagar as velas, descobrir e cobrir as Relíquias

1. Acendem-se primeiro as velas do lado da Epístola, da mais próxima da cruz para a mais distante (nº 1, 2 e 3); depois as do lado do Evangelho, da mais próxima da cruz para a mais distante (nº 4, 5 e 6).
2. Depois de acesas todas as velas, descobrem-se primeiro as Relíquias do lado da Epístola, da mais próxima da cruz para a mais distante (nº 7 e 8); depois as do lado do Evangelho, da mais próxima da cruz para a mais distante (nº 9 e 10).
3. Para apagar as velas deve-se antes cobrir as Relíquias na ordem decrescente: primeiro lado do Evangelho (nº 10 e 9), depois lado da Epístola (nº 8 e 7); só depois se podem apagar as velas em ordem decrescente: primeiro lado do Evangelho (nº 6, 5 e 4), depois o lado da Epístola (nº 3, 2 e 1).
Obs: todas as vezes que passar diante do Santíssimo faz-se genuflexão simples.

II
De acender e apagar as velas dos castiçais e candelabros

1. Acendem-se primeiro as velas do lado da Epístola, da mais próxima da cruz para a mais distante (nº 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8); depois as do lado do Evangelho, da mais próxima da cruz para a mais distante (nº 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15 e 16).
2. Apagam-se as velas na ordem decrescente: primeiro lado do Evangelho (nº 16, 15, 14, 13, 12, 11, 10 e 9), depois lado da Epístola (nº 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2 e 1).
Obs: todas as vezes que passar diante do Santíssimo faz-se genuflexão simples.



Nenhum comentário:

Postar um comentário