domingo, 27 de setembro de 2015

OS SACRIFÍCIOS DA ANTIGA LEI

OS SACRIFÍCIOS DA ANTIGA LEI

 

Por Blasius Ludovicus

Todas as grandes religiões giram em torno de sacrifícios. Pelos sacrifícios os diferentes povos procuram se aproximar de Deus.

A palavra sacrifício pode ter vários significados. Pela junção das duas palavras sacri + ficar significa ficar sagrado, pela etimologia latina significa fazer o sagrado, ou seja, separar para Deus, segundo Santo Agostinho. O certo é que o sacrifício está presente na historia, inclusive na Historia Sagrada do Povo de Deus, de modo muito abundante.

Na lei de Moisés (cf. Êxodo) havia os seguintes sacrifícios cruentos[1]:

Holocaustosacrifício de latria, ou seja, adoração a Deus; As vítimas eram oferecidas ao domínio de Deus. Queimava-se a vítima completamente, ninguém a comia, para prestar, por essa consumação, uma homenagem e um reconhecimento pleno, ao soberano domínio de Deus. Prestava-se, assim, o Culto puro de adoração a Deus.

Hóstia pelo pecado - sacrifício propiciatório: O sacrifício propiciatório era oferecido para a expiação dos pecados, de modo a tornar Deus propício. Também chamado "hóstia pelo pecado”. A vítima era dividida em três partes uma parte consumida no fogo sobre altar, outra queimada fora do acampamento e uma terceira comida pelos sacerdotes.

Sacrifício eucarístico sacrifício das hóstias pacíficas: O sacrifício eucarístico era oferecido para agradecer a Deus, qualquer graça recebida. Eram sacrifícios de ação de graças.

Sacrifício impetratório sacrifício de impetração: Era feito para pedir a Deus qualquer graça importante. Os sacrifícios eucarísticos e impetratórios, também chamados de "pacíficos", se distinguiam da "hóstia pelo pecado" pelo fato de que o povo e os sacerdotes deviam participar, consumindo uma parte da vítima.

O sacrifício, portanto, é um oferecimento a Deus de uma coisa sensível para ser destruída ou modificada, o que era feito por quatro razões: 

I - Reconhecer o domínio soberano de Deus; 

II - Reconhecer a nossa dívida para com a justiça suprema de Deus e obter o Seu perdão; 

III - Agradecer as graças alcançadas: 

IV - Pedir a graça necessitada.

Todos estes sacrifícios do AT são prefigurações do Sacrifício de Cruz de Cristo. Diz o texto Sagrado: "No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." (Jo 1,29). Afirmando assim que Jesus era o verdadeiro Cordeiro do Sacrifício agradável a Deus. E Jesus veio para nos libertar da antiga morte: "E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo" (Hb 2,14).




[1] Cruento diz respeito a sangue. Sacrifício cruento significa o derramamento de sangue da vítima. No Antigo Testamento pouquíssimos sacrifícios eram incruentos. A Santa Missa é um Sacrifício, o Santo Sacrifício da Cruz, porém, é Sacrifício incruento, pois, embora bebamos do Sangue de Cristo, não há mais o derramamento do Sangue de Nosso Senhor. Dizer o contrário seria uma grande heresia.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário