quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Anjos do Altar: Lição 11




LIÇÃO 11
A SINETA
34. A sineta se toca de dois modos: ou com um toque simples (distinto) ou com um repique (constante).
Toque é o som produzido por um só movimento da mão; repique é um som repetido e prolongado.
Sempre deve tocar-se com suavidade, evitando fazer demasiado ruído e estrépito.
35. Dão-se três toques simples ao Sanctus.
Dá-se um repique um pouco antes da consagração, quando o sacerdote põe as mãos sobre o cálice.
Na consagração se podem dar:
I – ou três toques simples ;
II – ou um repique suave, continuado, durante a elevação do cálice, desde o momento em que se elevam a Hóstia e o Cálice até que sejam recolocados sobre o altar.
Também se costumam dar um pequeno repique para fazer o sinal para a comunhão.
36. Evita os toques demasiado fortes e rápidos, que não condizem com o santo templo e perturbam a quietude.
Evita os repiques demasiado longos e estridentes, que atrapalham os fiéis.
Não levantes muito o braço ao tocar a sineta, nem a agites no alto. Não brinques com ela nem a prenda em alguma coisa (sobrepeliz, por exemplo!). Não a toques (por acidente) enquanto a tens na mão.
37. Na Missa não se toca a sineta:
1º - se se está exposto o Santíssimo na custódia, seja no altar mor, seja em outro altar da igreja;
2º - nas Missas Rezadas que se celebrem durante uma função solene, como, por exemplo, durante a Missa Cantada e durante uma pregação, para não chamar a atenção do povo que participa desta função.

Nenhum comentário:

Postar um comentário