sábado, 9 de abril de 2016

A liturgia do copo d'água!



Por Blasius Ludovicus


       Ultimamente tem se tornado "comum" um gesto que, mesmo sem perceber, está se tornando parte integrante do Ordo Missae no Brasil (especialmente!). É o copo de água, oferecido ao celebrante durante a Santa Missa! 
      Gesto tão simples e, poderíamos dizer, "necessário" em nosso Brasil cada vez mais quente!... Entretanto, esse gesto está se tornando cada vez mais comum e usado de modo indistinto, ou seja, nem sempre por necessidade!
          Não estamos aqui fazendo ataque ou indo contra os padres e bispos que tomam água na Liturgia, não. Estamos sim advertindo às "equipes" e coroinhas responsáveis pela liturgia para que não façam desse gesto um rito da própria Missa. Pois é exatamente isso o que está acontecendo. Indistintamente, após a pregação, vem SOLENEMENTE um coroinha trazer água num copo especial para o padre (ou mesmo para outro tipo de "presidente", como já vi acontecer muitas vezes em muitos lugares), sem nem mesmo perguntar ou esperar saber se há necessidade, se o padre quer ou precisar tomar água...
           Esse nosso artigo que na verdade é um desabafo pode parecer "besteira", mas é um alerta para que não se introduza esse gesto como se fosse um rito. Se você ainda não percebeu, procure observar isso a partir de agora e verá como está tão difundido e naturalizado esse abuso, por assim dizer.
           Nada temos contra o celebrante que precisa tomar água durante a celebração litúrgica, mas sim contra quem quer que seja que introduza um copo d'água na Liturgia como se fosse parte integrante ou rito dela.  


2 comentários:

  1. O que seria tido como infame, oferecer um copinho de água, retirada de um componente, leia-se uma garrafa ou uma peça capaz de reter uma considerável quantidade de água, não só ao padre, bem como aos convidados à igreja de Cristo, pois a água não seria muito usual como um silêncio sagrado do planeta Terra Água, pois o corpo humano, quando de água possuí?
    Esse manifesto imperativo, muito mais parece um grito de severidade ou de um cenário que faz parte de outras formas de filosofias, como a Kardecista, onde após uma palestra, comumente cristã, os convidados à igual casa do bem, do amor, cristã, oferece um passe de energia positiva aos que quiserem, e após, um copinho de água sagrada, como da igreja, onde essa pequena quantidade de água "cristã", magnetizada, assemelhada ao pão dividido, doa ao corpo amigo, uma prece em água para o convidado do bem e do amor.
    Existem outras filosofias que usam igualmente à água, como uma presença de Cristo amigo, irmão, para celebrar ao corpo e a paz entre os homens., enfim...
    Fiquem em paz, em amor, e não pensem que a igreja esteja tentando roubar adeptos de outras culturas e filosofias, porque este pareceu-me a perturbação?
    Vocês acham que a Santa Missa oferece espiritualidade, ou apenas sacramentos sem a verdade do ser e da história por Cristo oficializada?
    Abraço amigo.
    Nelson Teixeira

    ResponderExcluir