quinta-feira, 14 de abril de 2016

As velas litúrgicas: do que são feitas e quantas acender?


Motivados pela pergunta de um dos nossos leitores, trazemos agora a tradução de uns trechos do Manual Liturgico do Padre Ambrosio Hays, de 1961. Já publicamos o modo e ordem para acender e apagar as velas do altar. Nessa tradução veremos um pouco sobre a matéria dessas velas e o número de velas que devem ser acesas conforme a função seja rezada, cantada ou solene.
Bom proveito!

[Sobre a matéria das velas]
198. Todas as velas, prescritas para todas as funções litúrgicas devem ser de cera branca de abelhas e não de outra matéria, nem podem usar em seu lugar lâmpadas de azeite (Decreto 3173). Entretanto, em atenção à grande dificuldade de conseguir verdadeira cera de abelhas, ou de evitar as mesclas indevidas, podem-se misturar a cera com outra matéria vegetal ou animal...
200. O tamanho das velas é variável. Serão grandes nas funções solenes, e outras pequena para as Missas Rezadas, para o ostensório do Santíssimo Sacramento, os castiçais dos acólitos, etc...
2001. Tolera-se o costume de introduzir uma vela em tubos de madeira ou metal (Decreto 3448, 13), contanto que ditos tubos sejam parecidos com as velas ordinárias, não mais altas que elas, e que a vela seja de cera.

Número das velas acesas
206. Para as Missas Rezadas, acendem-se duas velas e os seus castiçais são colocados aos lados da cruz, sobre a mesa do altar ou dos degraus [da banqueta] (Decreto 3759). Isto se requer absolutamente, de modo que não se pode trocar por braços fixados na parece (Decreto 3137), ou em cada extremidade dos degraus dos castiçais, nem por castiçais colocados no chão ou no supedâneo.
208. Nas Missas Rezadas não se podem acender mais de duas velas como sinal de distinção do Celebrante seja qual for sua dignidade, a não ser para o Bispo (S.C.R. pluries), mas pode-se acender quatro na Missa Paroquial ou Conventual, ou com motivo de alguma solenidade (Decreto 3059, 7).
209. Para as Missas e Ofícios cantados “acendem-se os castiçais requeridos segundo a qualidade da Missa” (R.g.M. n. 527). Podem acender-se sempre seis (não mais, Decreto 1725, 2), e devem acender-se seis nas Missas e Ofícios de I e II classe. Bastam quatro nas de III classe e duas nas férias e Missas votivas de IV classe (Coer. Ep. 1. c. 12. n. 11 e 24).
Para a Missa de Requiem cantada, acendem-se sempre ao menos quatro (Decreto 4054, 2). Acendem-se sete só na Missa Pontifical solene do Bispo ordinário em sua própria diocese, salvo na Missa de Requiem e nas Vésperas Pontificais.
210. Nas Exposições e bênçãos solenes do Santíssimo Sacramento (ou seja, com o ostensório), o altar deve estar iluminado continuamente com doze velas de cera acesas (Decreto 3480) ou pelo menos dez (com permissão especial e expressa do Ordinário), inclusive quando a custódia está velada.

Para a Exposição privada e bênção com a âmbula, acendem-se seis velas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário