sábado, 21 de maio de 2016

Anjos do Altar: Lição 15 e 16


LIÇÃO 15
REVERÊNCIA NA IGREJA

44. O respeito à santidade do templo e à majestade do Senhor que mora nele se mostra ao entrar e sair do mesmo, e nas atitudes que se guardam enquanto se está na igreja.
45. Ao entrar na igreja tomarás água benta e farás com ela o sinal da cruz. Entrarás atento e formal, sem correr nem precipitar-se.
Uma vez dentro da igreja te ajoelharás um pouquinho e rezarás algum Pai nosso ou outra oração de tua devoção. Se podes fazê-lo, ajoelha-te diante do altar do Sacramento, ou pelo menos em direção ao mesmo, com intenção de venerá-lo.
Para fomentar essa reverência ao Santíssimo, a Igreja concede 300 dias de indulgência cada vez que se vai diretamente adorar o Sacramento Exposto ou Reservado cada vez que entra no templo.
46. Ao estar de pé estarás reto, os pés juntos, em posição firme. Não inclines o corpo nem para a direita nem para a esquerda, nem apoiando-se na parede.
47. Terás a cabeça sempre reta, e não inclinada para um dos lados. Não voltarás para trás, nem movimentos de um lado para o outro.
Terás os olhos sempre modestos, sem olhar para ver quem entra ou que sai.
48. Estando ajoelhado estarás com o corpo reto. Não te sustente nem te sentes sobre as pernas, porque é uma atitude pouco respeitosa.
49. Ao estar sentado em uma função pousarás as mãos estendidas e plantas, um pouco mais acima dos joelhos. Terás as pernas juntas, e os pés  em posição natural tocando o chão.
50. Ao ir de um lugar para outro, o farás com passo moderado e grave, sem correr nem precipitar-te.
Ao andar pela igreja o farás com gravidade, e não moverás os braços de uma a outra parte, nem levarás as mãos metidas nos bolsos.
51. Ao sair da igreja te ajoelharás uns momentos ante o altar mor ou o do Sacramento, rezarás o Pai nosso ou uma oração de tua devoção, tomarás água benta e farás com ela o sinal da cruz.
52. Evita sempre estes defeitos:
Encostar-te no respaldo do bando como se estivesses com preguiça.
Colocar um pé sobre o outro, ou uma perna sobre a outra.
Ter as mãos caídas [braços soltos] quando estejas de joelho, ou metidas nos bolsos.
Estar meio ajoelhado, com um joelho no ar.


LIÇÃO 16
O SINAL DA CRUZ

53. Persignar-se é fazer três cruzes com o dedo polegar da mão direita: a primeira na fronte [testa], a segunda na boca e a terceira no peito. Dentro da Missa não é necessário dizer as palavras Pelo sinal da Santa Cruz, etc.
Durante a Missa se persigna duas vezes: uma em cada um dos Evangelhos.
54. Faz as cruzes bem feitas, não pela metida, nem com precipitação. Não faças saltos com a mano, mas faça-as sempre em linhas retas.
Ao fazer as cruzes não te toques nas bochechas, nem o cabelo, nem acima das sobrancelhas, nem na barba, nem o nariz. Fixa-te nos pontos da figura central.
55. Benzer-se é fazer uma cruz com a mão direita, desde a testa até o peito e desde o ombro esquerdo ao direito. Durante a Missa, não é necessário dizer as palavras: Em nome do Pai, etc.
Ao benzer-se a mão esquerda fica estendida sobre o peito.
Durante a Santa Missa se benze: ao começá-la; no Adjuntorium nostrum; no intróito. Ao final do Gloria e do Credo; ao acabar o Sanctus; na bênção final, e sempre que o faça o sacerdote nas orações que reza em voz alta.
56. Distribuem-se as palavras de modo que correspondam às diversas partes da cruz, ao tocar: 1 – a testa;  2 – a cintura; 3 – o ombro esquerdo; 4 – o direito. Assim:
1 – In nómine Pátris, 2 – et Fílii, 3 – et Spíritus, 4 – Sancti. Amen.
1 – Adjuntórium, 2 – nóstrum, 3 – in nomine, 4 – Dómini.
 1 – Páter, 2 – et Fílius, 3 – et Spíritus, 4 – Sánctus.

Para conservar seu caráter de ato religioso e seu poder de edificação, o sinal da cruz deve ser:
a) Pausado, pois do contrário, resulta num gesto ridículo, um rabisco.
b) Completo, em sua forma perfeita, e não feita ao capricho.
c) Reflexivo, para que seja um ato meritório e não um movimento qualquer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário