terça-feira, 9 de agosto de 2016

Ritual do Batizado de uma criança

Publicamos hoje o Ritual do Batizado de uma única criança, segundo o Rituale Romanum (Rit. Rom., tit. II, cap. II), aqui gentilmente preparado e cedido por nosso amigo, o Diácono Jorge Luís, da Administração Apostólica.
Para maior comodidade e aproveitamento os textos latinos são acompanhados por uma tradução (exceto os exorcismos e a fórmula sacramental), e as rubricas são dadas em português.
Conheça a riqueza deste Ritual!



1. O sacerdote, de veste talar, lava as mãos e põe sobrepeliz e estola roxa. Se possível, acompanhem-no um ou mais ajudantes. Assim preparado, vai à entrada da igreja, onde o esperam os que vieram para o batizado, e pergunta o nome a ser imposto à criança.
2. Entre parênteses está o feminino.

1º - Diante da porta da igreja
3. O sacerdote interroga a criança:
N., quid petis ab Ecclésia Dei?
N., que pedes à Igreja de Deus?
O padrinho responde:
R. Fidem.
R. A fé.
O sacerdote:
Fides, quid tibi præstat?
E a fé, o que te alcança?
O padrinho responde:
R. Vitam ætérnam.
R. A vida eterna.
4. O sacerdote diz a cada criança em particular:
Si ígitur vis ad vitam íngredi, serva mandáta. Díliges Dóminum Deum tuum ex toto corde tuo, et ex tota ánima tua, et ex tota mente tua, et próximum tuum sicut teípsum.
“Se queres entrar na vida eterna, observa os mandamentos: Ama-rás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de toda a tua mente; e a teu próximo como a ti mesmo”.
5. Depois o sacerdote sopra três vezes levemente no rosto da criança e diz, uma só vez:
Exi ab eo (ea), imúnde spíritus, et da locum Spirítui Sancto Paráclito.
Espírito impuro, sai desta criatu-ra e dá lugar ao Espírito Santo Paráclito.
6. Com o polegar faz o sinal da cruz na fronte e no peito da criança, dizendo:
Accipe signum Crucis tam in fro+nte, quam in cor+de, sume fidem caeléstium praeceptórum: et talis esto móribus, ut templum Dei jam esse possis.
Recebe o sinal da Cruz tanto na fron+te como no cora+ção. Abraça a fé nos ensinamentos divinos, e seja tal o teu modo de viver que possas tornar-te desde agora um templo de Deus.
Orémus.                           Oratio.
Preces nostras, quaésumus, Dó-mine, cleménter exáudi: et hunc Eléctum tuum N. (hanc Eléctam tuam N.) Crucis Domínicae im-pressione signátum (signátam) perpétua virtúte custódi: ut, ma-gnitúdinis glóriae tuae rudimén-ta servans, per custódiam man-datórum tuórum ad regenera-tiónis glóriam perveníre mereá-tur. Per Christum Dóminum nostrum. R. Amen.
Oremos.                          Oração.
Senhor, escutai bondosamente as nossas orações: Guardai sob a vossa constante proteção este vosso eleito N. (esta vossa eleita N.), que marcamos com o sinal da Cruz do Senhor. Fazei que ele (ela) guardando as primícias da vossa grande glória e pela obser-vância dos vossos mandamentos, possa chegar à glória do nôvo nascimento. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amém.
7. Depois impõe a mão sobre a cabeça da criança e, conservando-a estendida, diz:
Orémus.                          Oratio.
Omnípotens, sempitérne Deus, Pater Dómini nostri Jesu Christi, respícere dignáre super hunc fámulum tuum N., quem (hanc fámulam tuam N., quam) ad rudiménta fídei vocáre dignátus es: omnem cæcitátem cordis ab eo (ea) expélle: disrúmpe omnes láqueos sátanæ, quibus fúerat colligátus (-a): áperi ei, Dómine, jánuam pietátis tuæ, ut, signo sapiéntiæ tuæ imbútus (-a) ómnium cupiditátum fœtóribus cáreat, et ad suávem odórem præceptórum tuórum lætus (-a) tibi in Ecclésia tua desérviat et profíciat de die in diem. Per eúmdem Christum Dóminum nostrum. R. Amen.
Oremos.                         Oração.
Deus eterno e todo-poderoso, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, olhai benigno para êste vosso servo N. (esta vossa serva N.), que chamastes aos rudimentos da fé. Tirai dele (dela) toda cegueira de coração. Quebrai todas as correntes com que satanás o (a) havia ligado. Abri-lhe, Senhor, as portas da vossa misericórdia, para que, impregnado (impregnada) pelo sal, símbolo da vossa sabedoria, fique livre do mau odor de todas as paixões, e, ao suave perfume dos vossos mandamentos, vos sirva com alegria na vossa Igreja, e progrida cada dia mais. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amém.

_________________________________

Bênção do sal
8. O sacerdote benze o sal, que, bento uma vez, poderá servir diversas vezes para o mesmo uso.
Exorcízo te, creatúra salis, in nómine Dei + Patris omnipoténtis, et in caritáte Dómini nostri Jesu + Christi, et in virtúte Spíritus + Sancti. Exorcízo te per Deum + vivum, per Deum + verum, per Deum + sanctum, per Deum + qui te ad tutélam humáni géneris procreávit, et pópulo veniénti ad credulitátem per servos suos consecrári præcépit, ut in nómine sanctæ Trinitátis efficiáris salutáre sacraméntum ad effugándum inimícum. Proínde rogámus te, Dómine Deus noster, ut hanc creatúram salis sanctificándo sanctí+fices, et benedicéndo bene+dices, ut fiat ómnibus accipiéntibus perfécta medicína, pérmanens in viscéribus eórum, in nómine ejúsdem Dómini nostri Jesu Christi, qui ventúrus est judicáre vivos et mórtuos, et sǽculum per ignem. R. Amen.
9. Põe um pouco de sal bento na boca da criança, dizendo:
N., Accipe sal sapiéntiæ: propi-tátio sit tibi in vitam ætérnam.
R. Amen.
N., recebe o sal da sabedoria; seja-te ele propício, para conse-guires a vida eterna.
R. Amém.
O sacerdote:
V. Pax tecum.
V. A paz esteja contigo.
R. Et cum spíritu tuo.
R. E contigo também.
Orémus.                          Oratio.
Deus patrum nostrórum, Deus univérsæ cónditor veritátis, te súpplices exorámus, ut hunc fámulum tuum N. (hanc fámulam tuam N.) respícere dignéris propítius, et hoc primus pábulum salis gustántem, non diútius esuríre permíttas, quo minus cibo expleátur cælésti, quátenus sit semper spíritu fervens, spe gaudens, tuo semper nómini sérviens. Perduc eum (eam), Dómine, quǽsumus, ad novæ regeneratiónis lavácrum, ut cum fidélibus tuis promissiónum tuárum ætérna prǽmia cónsequi mereátur. Per Christum Dóminum nostrum. R. Amen.
Oremos.                         Oração.
Deus de nossos pais, Deus, autor de toda a verdade, nós vos pedimos encarecidamente, olhai com bondade para o vosso servo (a vossa serva N.) que acaba de provar este primeiro alimento, o sal; não permitais que sinta fome por mais tempo, mas saciai-o (a) quanto antes com o pão celeste. De modo que tenha sempre o fervor de espírito, seja alegre na esperança e sempre zeloso (zelosa) em vos servir. Levai-o (a), nós vos pedimos, Senhor, à fonte do novo nascimento, a fim de que, segundo as vossas promessas, alcance com os vossos fiéis as recompensas eternas. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amém.
Exorcízo te, immúnde spíritus, in nómine Pa+tris, et Fi+lii, et Spiritus + Sancti, ut éxeas, et recédas ab hoc fámulo (hac fámula) Dei N.: Ipse enim tibi ímperat, maledícte damnáte, qui pédibus super mare ambulávit, et Petro mergénti déxteram porréxit. Ergo, maledícte diábole, recognósce senténtiam tuam, et da honórem Deo vivo et vero, da honórem Jesu Christo Fílio ejus, et Spirítui Sancto, et recéde ab hoc fámulo (hac fámula) Dei N., quia istum (istam) sibi Deus, et Dóminus noster Jesus Christus ad suam sanctam grátiam, et benedictiónem fontémque Baptismátis vocáre dignátus est.
10. Com o polegar traça uma cruz na fronte da criança, dizendo:
Et hoc signum sanctæ Cru+cis, quod nos fronti ejus damus, tu, maledícte diábole, numquam áudeas violáre. Per eúmdem Christum Dóminum nostrum. R. Amen.
E êste sinal da santa Cr+uz que nós traçamos em sua fronte, tu, espírito maligno, nunca ouses profanar. Pelo mesmo Cristo, nosso Senhor. R. Amém.
12. Impõe a mão sobre a cabeça da criança, e, conservando-a estendida, diz:
Orémus.                          Oratio.
Aetérnam ac justissímam pietátem tuam déprecor, Dómine sancte, Pater omnípotens, ætérne Deus, auctor lúminis et veritátis, super hunc fámulum tuum N. (hanc fámulam tuam N.) ut dignéris eum (eam) illumináre lúmine intélligentiæ tuæ: munda eum (eam) et sanctífica: da ei sciéntiam veram, ut dignus (digna) grátia Baptísmi tui efféctus (effécta), téneat firmam spem, consílium rectum, doctrínam sanctam. Per Christum Dóminum nostrum. R. Amen.
Oremos.                         Oração.
Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, autor da luz e da verdade, imploro a vossa eterna e muito justa misericórdia sobre este vosso servo N. (esta vossa serva N.), a fim de que vos digneis iluminá-lo(la) com a luz da vossa inteligência. Purificai-o(a) e santificai-o(a). Dai-lhe a verdadeira ciência, a fim de que, tendo-se tornado digno (digna) da graça do Batismo, conserve uma esperança firme, um julgamento reto e uma doutrina santa. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amém.

2° Na igreja
13. O sacerdote impõe a extremidade esquerda da estola sobre a criança e a introduz na igreja, dizendo:
N., ingrédere in templum Dei, ut hábeas partem cum Christo in vitam ætérnam. R. Amen.
N., entra no templo de Deus, para teres parte com Cristo na vida eterna. R. Amém.
14. Tendo entrado na igreja, enquanto se dirigem à pia batismal, sacerdote e padrinhos rezam em voz alta:
Credo in Deum, Patrem omni-poténtem, Creatórem cæli et terræ. Et in Jesum Christum, Fí-lium ejus únicum, Dóminum nostrum; qui concéptus est de Spíritu Sancto, natus ex María Vírgine, passus sub Póntio Piláto, crucifíxus, mórtuus, et sepúltus: descéndit ad ínferos; tértia die resurréxit a mórtuis; ascéndit ad cælos; sedet ad déxteram Dei Patris omnipoténtis: inde ventú-rus est judicáre vivos et mórtuos. Credo in Spíritum Sanctum, sanctam Ecclésiam cathólicam, Sanctórum communiónem, re-missiónem peccatórum, carnis resurrectiónem, vitam ætérnam.
Amen.
Creio em Deus Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra; e em Jesus Cristo, um só seu Filho, nosso Senhor; o qual foi concebido do Espírito Santo, nasceu de Maria Virgem, padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu aos infernos; ao terceiro dia ressurgiu dos mortos, subiu aos céus, está sentado à mão direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos; creio no Espírito Santo, na santa Igreja católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.
Pater noster, qui es in cælis, sanctificétur nomen tuum. Advéniat regnum tuum. Fiat volúntas tua, sicut in cælo, et in terra. Panem nostrum quotidiá-num da nobis hódie. Et dimítte nobis débita nostra, sicut et nos dimíttimus debitóribus nostris. Et ne nos indúcas in tenta-tiónem: sed líbera nos a malo. Amen.
Pai nosso, que estais no céu, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso reino; seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. Não nos deixeis cair em tentação. Mas livrai-nos do mal. Amém.
15. Antes de entrar no batistério, de costas para a entrada do mesmo, diz:
Exorcízo te, omnis spíritus immúnde, in nómine Dei + Patris omnipoténtis, et in nómine Jesu + Christi Fílii ejus, Dómini et Júdicis nostri, et in virtúte Spíritus + Sancti, ut discédas ab hoc plasmatáe Dei N., quod Dóminus noster ad templum sanctum suum vocáre dignátus est, ut fiant templum Dei vivi, et Spíritus Sanctus hábitet in eo. Per eúmdem Christum Dóminum nostrum, qui ventúrus est judicáre vivos et mórtuos, et sǽculum per ignem. R. Amen.
16. O sacerdote umedece o polegar com a própria saliva (o que poderá ser omitido, caso haja motivo razoável de higiene ou perigo de contágio ou propagação de doença; nestes casos, contudo, não se omita o toque prescrito, com a respectiva fórmula) e toca nos ouvidos e nas narinas da criança; ao tocar no ouvido direito e no esquerdo, diz:
Ephphéta, quod est adaperíre.
Éfeta! isto é: Abre-te!
Em seguida, toca nas narinas, dizendo:
In odórem suavitátis. Tu autem effugáre, diábole; appropin-quábit enim judícium Dei.
Para que respires o suave perfume. E tu, demônio, foge, porque se aproxima o julgamento de Deus.
17. Chamando a criança pelo nome, interroga-a:
N., abrenúntias satanae?
N., renuncias a satanás?
O padrinho responde:
Abrenúntio.
Renuncio.
O sacerdote:
Et ómnibus opéribus ejus?
E a todas as suas obras?
O padrinho:
Abrenúntio.
Renuncio.
O sacerdote:
Et ómnibus pompis ejus?
E a todas as suas seduções?
O padrinho:
Abrenúntio.
Renuncio.
18. O sacerdote umedece o polegar no óleo dos catecúmenos, e unge a criança no peito e entre as espáduas, em forma de cruz, dizendo uma só vez:
Ego te línio + Oleo salútis in Christo Jesu Dómino nostro, ut hábeas vitam ætérnam. R. Amen.
Eu te aplico + o óleo da salvação em Cristo Jesus, nosso Senhor, para que tenhas a vida eterna. R. Amém.
19. Enxuga com algodão ou coisa semelhante polegar e as partes ungidas.

3º No batistério
20. Ainda no mesmo lugar, fora do batistério, tira a estola roxa e põe a estola branca. Então entra no batistério, acompanhado dos padrinhos com a criança.
Junto à pia batismal, chamando a criança pelo nome, interroga-a:
N., credis in Deum Patrem omnipoténtem, Creatórem cæli et terræ?
N., crês em Deus Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra?
O padrinho responde:
R. Credo.
R. Creio.
Credis in Jesum Christum, Fílium ejus únicum, Dóminum nostrum, natum, et passum?
Crês em Jesus Cristo, seu Filho único, nosso Senhor, que nasceu e morreu por nós?
R. Credo.
R. Creio.
Credis in Spíritum, sanctam Ecclésiam cathólicam, Sanc-tórum communiónem, remis-siónem peccatórum, carnis resurrectiónem, et vitam ætérnam?
Crês também no Espírito Santo, na santa Igreja católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne e na vida eterna?
R. Credo.
R. Creio.
21. Chamando a criança pelo nome, pergunta:
N., vis baptizári?
N., queres ser batizado? (bati-zada?)
O padrinho responde:
R. Volo.
R. Quero.
22. O padrinho ou a madrinha, ou ambos (se ambos forem admitidos) sustentam a criança. O sacerdote, com uma vasilha ou concha, tira água batismal e a derrama por três vezes, em forma de cruz, sobre a cabeça da criança, ao mesmo tempo que pronuncia, uma só vez, distinta e atentamente, a fórmula:

N., EGO TE BAPTÍZO IN NÓMINE PA+TRIS, (derrama pela primeira vez) ET FÍ+LII, (derrama pela segunda vez) ET SPÍRITUS + SANCTI (derrama pela terceira vez).

___________________________

23. Onde for costume batizar por imersão, o sacerdote, pegando na criança, a imerge três vêzes, com cuidado, dizendo uma só vez:
N., EGO TE BAPTÍZO IN NÓMINE PA+TRIS, ET FÍ+LII, ET SPÍRITUS + SANCTI.
N., EU TE BATIZO EM NOME DO P+AI, E DO FI+LHO, E DO ESPÍRITO + SANTO.
24. E logo o padrinho ou a madrinha, ou ambos ao mesmo tempo, tiram da pia a criança, tomando-a das mãos do sacerdote.
___________________________

25. Havendo dúvidas se a criança foi batizada, emprega-se a seguinte fórmula:
N., SI NON ES BAPTIZÁTUS (BAPTIZÁTA), EGO TE BAPTÍZO IN NÓMINE PA +TRIS, ET FÍ+LII, ET SPÍRITUS + SANCTI.
N., SE NÃO ESTÁS BATIZADO (BATIZADA), EU TE BATIZO EM NOME DO P+AI, E DO FI+LHO, E DO ESPÍRITO + SANTO.
___________________________


26. Umedece o polegar no santo Crisma e unge a criança no alto da cabeça, em forma de cruz, dizendo:
Deus omnípotens, Pater Dómini nostri Jesu Christi, qui te regenerávit ex aqua et Spíritu Sancto,quique dedit tibi remis-siónem ómnium peccatórum (hic inungit), ipse te líniat + Chrísmate salútis in eodem Christo Jesu Dómino nostro in vitam ætérnam. R. Amen.
Deus todo-poderoso, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que te fez renascer da água e do Espírito Santo e te deu o perdão de todos os pecados, (aqui unge) te consagre, ele próprio, com o + crisma da salvação, no mesmo Jesus Cristo, nosso Senhor, para a vida eterna. R. Amém.
O sacerdote:
V. Pax tibi.
V. A paz esteja contigo.
R. Et cum spíritu tuo.
R. E contigo também.
27. Com algodão ou coisa semelhante, enxuga o polegar e a parte ungida. Impõe uma veste branca (ou uma toalha branca) sobre a cabeça da criança dizendo:
Accipe vestem cándidam, quam pérferas immaculátam ante tri-búnal Dómini nostri Jesu Christi, ut hábeas vitam ætérnam. R. Amen.
Recebe esta veste branca que levarás sem mancha, até ao tribunal de nosso Senhor Jesus Cristo, para que tenhas a vida eterna. R. Amém.
28. Entrega à criança ou ao padrinho uma vela acesa dizendo:
Accipe lámpadem ardéntem, et irreprehensíbilis custódi Baptís-mum tuum: serva Dei mandáta, ut, cum Dóminus vénerit ad núptias, possis occúrrere ei una cum ómnibus Sanctis in aula cælésti, et vivas in sǽcula sæculórum.
R. Amen.
Recebe esta vela acesa. Conserva irrepreensível a graça elo teu Batismo. Cumpre os mandamen-tos de Deus. E assim, quando vier o Senhor para as núpcias, poderás ir ao seu encontro com todos os santos no reino celeste, e viver pelos séculos dos séculos.
R. Amém.
29. Terminando, o sacerdote diz:
N., vade in pace et Dómnus sit tecum.
N., vai em paz. E o Senhor te acompanhe.
R. Amen.
R. Amém.
30. Também o diácono, quando batizar solenemente, observará o rito acima descrito. Mas deve usar sal e água bentos com antecedência, para esse fim, por um sacerdote.

Nenhum comentário:

Postar um comentário