quinta-feira, 6 de outubro de 2016

XXI Domingo depois de Pentecostes

PRÓPRIO DA MISSA
II classe, verde

“In ómnibus suméntes scutum fídei, in quo possítis ómnia tela nequíssimi ígnea extínguere”

INTRÓITO
(Ester 1,39.10-11 e Sl 118,1)
IN voluntáte tua, Dómine, univérsa sunt pósita, et non est qui possit resístere voluntáti tuæ: tu enim fecísti ómnia, cælum et terram, et univérsa quæ in cæli ámbitu continéntur: Dóminus universórum tu es. Ps. Beáti immaculáti in via: qui ámbulant in lege Dómini. Glória Patri. In voluntáte.
SENHOR, tudo depende de vosso poder, e não há quem possa resistir à vossa vontade, porque fizestes tudo: o céu, a terra, e tudo quanto se encerra no âmbito dos céus; sois o Senhor do universo. Sl. Bem-aventurados os puros em seus caminhos; os que andam na lei do Senhor. Glória ao Pai. Senhor, tudo depende de vosso poder.

COLETA
FAMÍLIAM tuam, quǽsumus, Dómine, contínua pietáte custódi: ut a cunctis adversitátibus, te protegénte, sit líbera: et in bonis áctibus tuo nómini sit devóta. Per Dóminum.
NÓS vos pedimos, Senhor, continueis a guardar a vossa família com o vosso amor paternal, para que, por vossa proteção ela se livre de todas as adversidades e glorifique o vosso Nome pela prática das boas obras. Por nosso Senhor.

EPÍSTOLA
(Ef 6,10-17)
Lectio Epístolæ beati Pauli Apóstoli ad Ephésios.
FRATRES: Confortámini in Dómino, et in poténtia virtútis ejus. Indúite vos armatúram Dei, ut possítis stare advérsus insidias Diáboli. Quóniam non est nobis colluctátio advérsus carnem et sánguinem; sed advérsus príncipes et potestátes, advérsus mundi rectóres tenebrárum harum, contra spirituália nequítiae in cæléstibus. Proptérea accépite armatúram Dei, ut possítis resístere in die malo, et in ómnibus perfécti stare. State ergo succíncti lumbos vestros in veritáte et indúti lorícam justítiæ, et calceáti pedes in præparatióne Evangélii pacis: in ómnibus suméntes scutum fídei, in quo possítis ómnia tela nequíssimi ígnea extínguere: et gáleam salútis assúmite: et gládium spíritus, quod est verbum Dei.

R. Déo grátias.
Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Efésios.
IRMÃOS: Fortalecei-vos no Senhor, no poder de sua força; revesti-vos da armadura de Deus, para que possais resistir às ciladas do diabo. Pois a nossa luta não é contra o sangue e a carne, mas contra os principados, as potestades, os dominadores deste mundo tenebroso, os espíritos malignos espalhados pelo espaço. Por isso, protegei-vos com a armadura de Deus, a fim de que possais resistir no dia mau, e assim, empregando todos os meios, continueis firmes. Ficai, pois, de prontidão, tendo a verdade como cinturão, a justiça como couraça e os pés calçados com o zelo em anunciar a Boa-Nova da paz. Em todas as circunstâncias, empunhai o escudo da fé, com o qual podereis apagar todas as flechas incendiadas do Maligno. Enfim, ponde o capacete da salvação e empunhai a espada do Espírito, que é a palavra de Deus.

GRADUAL
(Sl 32,12.6)
Dómine, refúgium factus es nobis, a generatióne et progénie. V. Priúsquam montes fíerent, aut formarétur terra et orbis: a sǽculo, et usque in sǽculum tu es Deus.
SENHOR, fostes o nosso refúgio, de geração em geração. V. Antes que as montanhas fossem criadas ou se formasse a terra e o mundo, desde toda a eternidade, e por todos os séculos, vós sois Deus.

ALELUIA
(Sl 101,2)
ALLELÚJA, allelúja.
V. In éxitu Israël de Ægýpto, domus Jacob de pópulo bárbaro. Allelúja.
ALELUIA, aleluia.
V. Ao sair Israel do Egito, saiu a tribo de Jacó de um povo estrangeiro. Aleluia.

EVANGELHO
(Mt 18,23-35)
+  Sequentia sancti Evangelii secundum Matthǽum.
IN illo tempore: Dixit Jesus discípulis suis parábolum hanc: Assimilátum est regnum cælórum hómini regi qui vóluit ratiónem pónere cum servis suis. Et cum cœpísset ratiónem pónere, oblátus est ei unus, qui debébat decem míllia talénta. Cum autem non habéret unde rédderet, jussit eum dóminus venúmdari, et uxórem ejus, et fílios, et ómnia quæ habébat, et reddi. Prócidens autem servus ille, orábat eum, dicens: "Patiéntiam habe in me, et ómnia reddam tibi." Misértus autem dóminus servi illíus, dimísit eum, et débitum dimísit ei. Egréssus autem servus ille, invénit unum de consérvis suis, qui debébat ei centum denários: et tenens suffocábat eum, dicens: "Redde quod debes." Et prócidens consérvus ejus rogábat eum, dicens: "Patiéntiam habe in me, et ómnia reddam tibi." Ille autem nolúit, sed ábiit, et misit eum in cárcerem donec rédderet débitum. Vidéntes autem consérvi ejus quae fiébant, contristáti sunt valde: et venérunt et narravérunt dómino suo ómnia quæ facta fúerant. Tunc vocávit illum dóminus suus, et ait illi: "Serve nequam, omne débitum dimísi tibi, quóniam rogásti me: nonne ergo opórtuit et te miseréri consérvi tui, sicut et ego tui misértus sum?" Et irátus dóminus ejus, trádidit eum tortóribus, quoadúsque rédderet univérsum débitum. Sic et Pater meus cæléstis fáciet vobis, si non remiséritis unusquisque fratri suo de córdibus vestris.
R. Laus tibi, Christe.
+ Continuação do Santo Evangelho segundo São Mateus.
NAQUELE tempo, disse Jesus aos seus discípulos essa parábola: O Reino dos Céus é, portanto, como um rei que resolveu ajustar contas com seus servos. Quando começou o ajuste, trouxeram-lhe um que lhe devia uma fortuna inimaginável. Como o servo não tivesse com que pagar, o senhor mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher, os filhos e tudo o que possuía, para pagar a dívida. O servo, porém, prostrou-se diante dele pedindo: ‘Tem paciência comigo, e eu te pagarei tudo’. Diante disso, o senhor teve compaixão, soltou o servo e perdoou-lhe a dívida. Ao sair dali, aquele servo encontrou um dos seus companheiros que lhe devia uma quantia irrisória. Ele o agarrou e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Paga o que me deves’. O companheiro, caindo aos pés dele, suplicava: ‘Tem paciência comigo, e eu te pagarei’. Mas o servo não quis saber. Saiu e mandou jogá-lo na prisão, até que pagasse o que estava devendo. Quando viram o que havia acontecido, os outros servos ficaram muito sentidos, procuraram o senhor e lhe contaram tudo. Então o senhor mandou chamar aquele servo e lhe disse: ‘Servo malvado, eu te perdoei toda a tua dívida, porque me suplicaste. Não devias tu também ter compaixão do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti? O senhor se irritou e mandou entregar aquele servo aos carrascos, até que pagasse toda a sua dívida. É assim que o meu Pai que está nos céus fará convosco, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão”.
Credo.
OFERTÓRIO
(Jó 1)
VIR erat in terra Hus, nómine Job: simplex et rectus, ac timens Deum: quem Satan pétiit, ut tentet: et data est ei potéstas a Dómino in facultátes, et in carnem ejus: perdítque omnem substántiam ipsíus, et fílios: carnem quoque ejus gravi úlcere vulnerávit.
HAVIA um homem na terra de Hus, chamado Jó, simples, reto e temente a Deus. Então satanás pediu licença a Deus para o tentar; e dando-lhe o Senhor poder sobre os seus bens e sobre a sua carne, destruiu-lhe todos os bens, e cobriu-lhe o corpo com um chaga horrível.

SECRETA
SÚSCIPE, Dómine, propítius hóstias: quibus et te placári voluísti, et nobis salútem poténti pietáte réstitui. Per Dóminum.
RECEBEI, Senhor, benignamente o Sacrifício com o qual vos dignais aplacar-vos, e por vossa poderosa bondade concedei-nos a salvação. Por Nosso Senhor.

PREFÁCIO DA SANTÍSSIMA TRINDADE
V. Dominus vobiscum.
V. O Senhor esteja convosco.
R.  Et cum spiritu tuo.
R. E com vosso espírito.
V. Sursum corda.
V. Corações ao alto.
R. Habemus ad Dominum.
R. Já os temos no Senhor.
V. Gratias agamus Domino Deo nostro.
V. Demos graças ao Senhor nosso Deus.
R. Dignum et iustum est.
R. Digno e justo é.
VERE dignum et iustum est, æquum et salutáre, nos tibi semper et ubíque grátias ágere: Dómine, sancte Pater, omnípotens ætérne Deus: Qui cum unigénito Fílio tuo, et Spíritu Sancto, unus es Deus, unus es Dóminus: non in uníus singularitáte persónæ, sed in uníus Trinitáte substántiæ. Quod enim de tua gloria, revelánte te, crédimus, hoc de Fílio tuo, hoc de Spíritu Sancto, sine differéntia discretiónis sentimus. Ut in confessióne veræ sempiternáeque Deitátis, et in persónis propríetas, et in esséntia únitas, et in majestáte adorétur æquálitas. Quam laudant Angeli atque Archángeli, Chérubim quoque ac Séraphim: qui non cessant clamáre quotídie, una voce dicéntes:
VERDADEIRAMENTE é digno e justo, e igualmente salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus: Que sois, com o Vosso Filho Unigênito e com o Espírito Santo, um só Deus e um só Senhor, não na singularidade duma só Pessoa, mas na Trindade duma só substância. Porque tudo aquilo que nos revelastes e cremos da Vossa glória, isso mesmo sentimos, sem diferença nem distinção, do Vosso Filho e do Espírito Santo, de maneira que, confessando a verdadeira e eterna Divindade, adoramos a propriedade nas Pessoas, a unidade na Essência e a igualdade na Majestade, a qual louvam os Anjos e os Arcanjos, os Querubins e os Serafins, que não cessam de cantar dizendo a uma só voz:
SANCTUS, Sanctus, Sanctus, Dóminus Deus Sábaoth. Pleni sunt cæli et terra glória tua. Hosanna in excélsis. Bene+díctus qui venit in nomine Dómini. Hosánna in excélsis.
SANTO, Santo, Santo, Senhor Deus do universo. O Céu e a Terra estão cheios da Vossa glória. Hosana nas alturas. Bem+dito o que vem em nome do Senhor. Hosana nas alturas!

COMUNHÃO
(Sl 118, 81.84.86)
IN salutári tuo ánima mea, et in verbum tuum sperávi: quando fácies de persequéntibus me judícium? iníqui persecúti sunt me, ádjuva me, Dómine, Deus meus.
MINHA alma suspira por vossa salvação, e eu espero em vossa palavra; quando fareis o julgamento dos que me perseguem? Homens iníquos me perseguem, ajudai-me, Senhor, meu Deus.

PÓSCOMUNHÃO
IMMORTALITÁTIS alimóniam con-secúti, quǽsumus, Dómine Deus, ut quod ore percépimus, pura mente sectémur. Per Dominum.
TENDO recebido o alimento da imortalidade, vos pedimos, Senhor, que em coração puro guardemos o que nossa boca recebeu. Por nosso Senhor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário