quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Novena do Santo Natal


I – CANTO DAS PROFECIAS
Os Cantores cantam o Invitatório:
Regem venturum Domi-num, venite adoremus.
Ao Rei e Senhor que há de vir, vinde adoremos!
E todos repetem:
Regem venturum Domi-num, venite adoremus.
Ao Rei e Senhor que há de vir, vinde adoremos!
Os Cantores cantam a Profecia:
Iucundare filia Sion, et exulta satis filia Ierusalem,* ecce Dominus veniet, et erit in die illa lux magna et stillabunt montes dulcedinem* et colles fluent lac et mel, quia veniet Propheta magnus et Ipse renovabit Ierusalem.
Alegra-te, filha de Sião, enche-te de júbilo, filha de Jerusalém; eis que o Senhor virá e naquele dia haverá uma grande Luz, os montes derramarão doçura e as colinas jorrarão leite e mel, porque virá o grande Profeta, ele renovará Jerusalém!
E todos repetem:
Regem venturum Domi-num, venite adoremus.
Ao Rei e Senhor que há de vir, vinde adoremos!
Os Cantores cantam a Profecia:
Ecce veniet Deus, et Homo de domo David sedere in throno* et videbitis et gaudebit cor vestrum.
Eis que virá Deus e Homem da casa de Davi para sentar-se no trono. Vós o vereis e o vosso coração se alegrará.
E todos repetem:
Regem venturum Domi-num, venite adoremus.
Ao Rei e Senhor que há de vir, vinde adoremos!
Os Cantores cantam a Profecia:
Ecce veniet Dominus protector noster, Sanctus Israël, * coronam Regni habens in capite suo * et dominabitur a mari usque ad mare et a flumine usque ad terminos orbis terrarum.
Eis que virá o Senhor, nosso protetor, o Santo de Israel, tendo a coroa do reinno em sua cabeça. E dominará de um mar ao outro mar, do rio até os confins do globo terrestre.
E todos repetem:
Regem venturum Domi-num, venite adoremus.
Ao Rei e Senhor que há de vir, vinde adoremos!
Os Cantores cantam a Profecia:
Ecce apparebit Dominus, et non mentietur:* si moram fecerit, expecta eum* quia veniet et non tardabit.
Eis que aparecerá o Senhor e nao falhará; se ele demorar, espera-O, porque virá e nao tardará.
E todos repetem:
Regem venturum Domi-num, venite adoremus.
Ao Rei e Senhor que há de vir, vinde adoremos!
Os Cantores cantam a Profecia:
Descendet Dominus sicut pluvia in vellus, orietur in diebus eius iustitia et abundantia pacis* et adorabunt eum omnes reges terrae, omnes gentes servient ei.
Descerá o Senhor como chuva sobre a relva. Em seus dias surgirá a justiça e a paz em abundância, e todos os reis da terra O adorarão, todos os povos O servirão!
E todos repetem:
Regem venturum Domi-num, venite adoremus.
Ao Rei e Senhor que há de vir, vinde adoremos!
Os Cantores cantam a Profecia:
Nascetur nobis parvulus et vocabitur Deus fortis;* ipse sedebit super thronum David patris sui et imperabit;* cuius potestas super humerum eius.
Nascerá pequenino para nós, e será chamado Deus Forte, ele se sentará sobre o trono de Davi, seu pai, e reinará. Seu poder está sobre seus ombros.
E todos repetem:
Regem venturum Domi-num, venite adoremus.
Ao Rei e Senhor que há de vir, vinde adoremos!
Os Cantores cantam a Profecia:
Betlehem civitas Dei summi, ex te exiet dominator Israel,* et egressus eius sicut a principio dierum aeternitatis, et magnificabitur in medio universae terrae, * et pax erit in terra nostra dum venerit.
Belém, cidade do grande Deus, de ti sairá o Dominador de Israel, sua vinda será como dos principios da eternidade, e será engrandecido em toda a terra, e haverá paz e nossa terra quando ele vier.
E todos repetem:
Regem venturum Domi-num, venite adoremus.
Ao Rei e Senhor que há de vir, vinde adoremos!
Na Vigília do Natal os Cantores acrescentam:
Crastina die delebitur iniquitas terrae et regnabit super nos Salvator Mundi.
Amanhã será destruída a iniquidade da terra, e sobre nós reinará o salvador do mundo.
E todos repetem:
Regem venturum Domi-num, venite adoremus.
Ao Rei e Senhor que há de vir, vinde adoremos!







Cantores: Prope est jam Dominus.
O Senhor está perto!
Coro: Venite, adoremus.
Vinde, adoremos!

CANTICO RESPONSORIAL
Este polissalmo é cantado alternando-se os coros. É formado de várias partes de diversos salmos, as quais evidenciam nosso desejo da vindo do Messias!

1. Laetentur coeli, et exultet terra, * jubilate montes laudem.
1. Alegrem-se os céus e a terra exulte, montanhas, prorrompei em louvores.
2. Erumpant montes jucunditatem, * et colles justitiam.
2. Que as montanhas jorrem a alegria e as colinas a justiça.
3. Quia Dominus noster veniet, * et pauperum suorum mìserebitur.
3. Porque Nosso Senhor virá e se compadecerá de seus pobres.
4. Rorate, coeli, desuper, et nubes plant Justum, * aperiatur terra, et germinet Salvatorem.
4. Orvalhai do alto, ó céus, e as nuvens chovam o justo; abra-se a terra e germine o Salvador.
5. Memento nostri, Domine, * et visita nos in salutari tuo.
5. lembrai-vos de nós, ó Senhor, visitai-nos com vosso Salvador.
6. Ostende nobis, Domine, misericordiam tuam, * et salutare tuum da nobis.
6. Mostrai-nos, Senhor, a vossa misericórdia, e dai-nos a vossa salvação.
7. Emitte Agnum, Domine, diminatorem terrae, * de petra deserti ad montem filiae Sion.
7. enviai, Senhor, o Cordeiro dominador da terra, do deserto ao monte da filha de Sião.
8. Veni ad liberandum nos, Domine, Deus virtutum, * estende faciem tuam et salvi erimus.
8. Vinde para nos livrar, ó Deus dos exércitos, mostrai-nos vossa face e seremos salvos.
9. Veni, Domine, visitare nos in pace, *ut laetemur coram te corde perfecto.
9. Vinde, Senhor, visitar-nos na paz, para que nos alegremos diante de vós com um coração perfeito.
10. Ut cognoscamus, Domine, in terra viam tuam, * in omnibus gentibus salutare tuum.
10. Para que conheçamos na terra vosso caminho e em todas as nações vossa salvação.
11. Excita, Domine, potentiam tuam, et veni, * ut salvos facias nos.
11. Despertai, Senhor, vosso poder e vinde, para salvar-nos.
12. Veni, Domine, et noli tardare * relaxa facinora plebi tuae.
12. Vinde, Senhor, e não tardeis; perdoai os crimes de vosso povo.
13. Utinam dirumperes coelos, et descenderes; * a facie tua montes defluerent.
13. Ó! se rasgásseis os céus, e descêsseis; diante de vossa face as montanhas desabariam!
14. Veni, et estende nobis faciem tuam, Domine, * qui sedes super Cherubim.
14. Vinde, e mostrai-nos vossa face, Senhor, vós que vos assentais sobre os Querubins!
15. Gloria Patri, et Filio, et Spiritui Sancto.
15. Glória ao Pai, e ao Filho, e ao Espírito Santo.
16. Sicut erat in principio, et nunc, et semper, et in saecula saeculorum. Amen.
16. Assim como era no princípio, agora e sempre, e por todos os séculos dos séculos. Amém.


CAPÍTULO
(Hb 6,20)
Praecursor pro nobis ingreditur Agnus sine macula secundum ordinem Melchisedech, * Pontifex factus in aeternum, et in saeculum saeculi * Ipse est Rex justitiae, cujus generatio non habet finem.
Deo gratias.
O Cordeiro sem mácula entra por nós como Precursor, feito Pontífice eterno segundo a ordem de Melquisedec. Ele é o Rei de justiça, cuja geração não tem fim.

HINO
1. En clara vox redarguit,
Obscura quaeque personans
Procul fugentur somnia:
Ab alto Jesus promicat.

Eis que uma clara vós se faz ouvir,
Ressoando na escuridão;
Para longe fujam os sonhos,
Do alto, Jesus resplandece!
2. En Agnus ad nos mittitur
Laxare gratis debitum;
Omnes simul cum lacrymis
Precemur indulgentiam.
Eis que o Cordeiro nos é enviado
Para perdoar gratuitamente o debito,
Todos juntos com lagrimas
Peçamos indulgência.

3. Beatus Auctor saeculi
Servile corpus induit:
Ut carne carnem liberans,
Ne perderet quos condidit.

O feliz Autor do mundo
Vestiu-se dum corpo de servo:
Para que, livrando a carne com a carne,
Não perdesse os que ele criou.
4. Castae Parentis viscera
Coelestis intrat gratia:
Venter puellae bajulat
Secreta, quae non noverat.

A graça penetra
As entranhas da casta Mãe
O ventre da Donzela traz segredos
Que ela não conhecia
5. Domus pudici pectoris
Templum repente fit Dei:
Intacta nesciens virum,
Concepit alvo Filium.

O casto seio da Virgem
Faz-se de repente o Templo de Deus,
Intacta, sem conhecer homem algum,
Concebe o Filho em seu ventre.
6. Deo Patri sit gloria,
Ejusque soli Filio,
Cum Spiritu Paraclito
In saeculorum saecula.
Amen.
A Deus Pai seja a glória,
E ao Seu único Filho,
Com o Espírito Paráclito,
Pelos séculos dos séculos.
Amém.


ANTÍFONAS DO MAGNIFICAT

16 de Dezembro
Ecce veniet Rex Dominus terrae et ipse auferet jugum captivitatis nostrae.
Eis que virá o Rei, Senhor da terra, e Ele quebrará

Antífonas Maiores “Ó”
Estas antífonas todas começam com a expressão “Ó” expressando a admiração pelo mistério da vinda do Messias, e todos terminam com o pedido insistente da Igreja: “Vinde!”.
Quando lidas da última antífona para a primeira, a primeira letra depois do “Ó” formam, acrosticamente, “ERO CRAS” que significa “VIREI AMANHÔ, como uma resposta do Messias.

17 de Dezembro
O Sapientia, quae ex ore Altissimi prodiisti, attìngens a fine usque ad finem, fortiter, suaviterque disponens omnia, veni ad docendum nos viam prudentiae.
Ó Sabedoria, que saístes da boca do Altíssimo, e atingis até os confins do universo e com força e suavidade governais o mundo inteiro: vinde ensinar-nos o caminho da prudência.

18 de Dezembro
O Adonai et Dux domus Israél, qui Moysi in igne ìlammae rubri apparuisti, et ei in Sina legem dedisti, veni ad redimendum nos in braciaio extento.
Ó Adonai, guia da casa de Israel, que aparecestes a Moisés na sarça ardente e lhe destes vossa lei sobre o Sinai: vinde salvar-nos com braço poderoso!

19 de Dezembro
O Radix Jesse, qui stas in signum populorum, super quem continebunt Reges os suum, quem gentes deprecabuntur: veni ad liberandum nos; jam noli tardare.
Ó Raiz de Jessé, levantado em sinal para as nações! Ante vós se calarão os reis da terra, e as nações implorarão misericórdia: vinde salvar-nos! Não tardeis.

20 de Dezembro
O Clavis David et sceptrum domus Israèl, qui aperis, et nemo claudit: claudis, et nemo aperit: veni, et educ vinctiim de domo carceris, sedentem in tenebris et umbra mortis.
Ó Chave de Davi, cetro da casa de Israel, que abris e ninguém fecha, fechais e ninguém abre: vinde e libertai o homem presioneiro, sentado nas trevas e à sombra da morte.

21 de Dezembro
O Oriens, splender lucis aeternae, et sol justitiae: veni, et illumina sedentes in tenebris, et umbra mortis.
Ó Oriente, esplendor da Luz eterna: vinde e iluminai os que jazem entre as trevas e à sombra da morte.

22 de Dezembro
O Rex gentium, et desideratus earum, lapisque angularis, qui facis utraque unum: veni, et salva hominem, quem de limo formasti.
Ó Rei das nações, desejado dos povos: Pedra angular que unis os opostos: vinde e salvai o  homem, que do barro formastes.

23 de Dezembro
O Emmanuel Rex et Legifer noster, expectatio gentium et Salvator earum, veni ad salvandum nos, Domine Deus noster.
Ó Emanuel, nosso Rei e Legislador, esperança das nações e dos povos Salvador: vinde para salvar-nos, ó Senhor nosso Deus!

24 de Dezembro
Cum ortus fuerit sol de coelo, videbitis Regem Regum procedentem a Patre tamquam sponsum de thalamo suo.
Quando o sol aparecer no horizonte, contemplareis o Rei dos reis sair do Pai como esposo do seu quarto nupcial.

MAGNIFICAT (Lc 1,46-55)

Magníficat * ánima mea Dóminum.
A minha alma engrandece o Senhor,
Et exsultávit spíritus meus: * in Deo, salutári meo.
exulta meu espírito em  Deus, meu Salvador!
Quia respéxit humilitátem ancíllæ suæ: * ecce enim ex hoc beátam me dicent omnes generatiónes.
Porque olhou para a humildade de sua serva, doravante as gerações hão de chamar-me de bendita!
Quia fecit mihi magna, qui potens est: * et sanctum nomen eius.
O Poderoso fez em mim maravilhas, e Santo é seu nome!
Et misericórdia eius, a progénie in progénies: * timéntibus eum.
Seu amor para sempre se estende, sobre aqueles que O temem!
Fecit poténtiam in bráchio suo: * dispérsit supérbos mente cordis sui.
Manifesta o poder de seu braço, dispersa os soberbos;
Depósuit poténtes de sede: * et exaltávit húmiles.
derruba os poderosos de seus tronos e eleva os humildes;
Esuriéntes implévit bonis: * et dívites dimísit inánes.
sacia de bens os famintos,  despede os ricos sem nada.
Suscépit Israël púerum suum: * recordátus misericórdiæ suæ.
Acolhe Israel, seu servidor, fiel ao seu amor,
Sicut locútus est ad patres nostros: * Ábraham, et sémini eius in sǽcula.
como havia prometido a nossos pais, em favor de Abraão e de seus filhos para sempre!
Glória Patri, et Fílio, * et Spirítui Sancto.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.
Sicut erat in princípio, et nunc, et semper, * et in sǽcula sæculórum. Amen.
Assim como era no princípio, agora e sempre, e por todos os séculos dos séculos. Amém!

OREMUS
Festina, quaesumus, Domine, ne tardaveris, et auxilium nobis supernae virtutis impende: ut adventus tui consolationibus subleventur, qui in tua pietate confidunt. Qui vivis et regnas cum Deo Patre in unitate Spiritus Sancti Deus, per omnia saecula saeculorum.
Amen.
Apressai-Vos, Senhor, e não tardeis; e concedei-nos o auxílio do vosso poder celeste para que se reanimem, pelas consolações de vossa vinda, os que confiam em vossa bondade. Vós que viveis e reinais com Deus Pai na unidade do Espírito Santo, Deus, por todos os séculos dos séculos. Amém.


HINO FINAL
Rorate Caeli

Rorate caeli desuper, et nubes pluant iustum.
Derramai, ó céus, o vosso orvalho do alto, e as nuvens chovam o Justo!
Ne irascaris Domine, ne ultra memineris iniquitatis: ecce civitas Sancti facta est deserta, Sion deserta facta est: Ierusalem desolata est: domus sanctificationis tuac et gloriae tuae, ubi laudaverunt te patres nostri.
Não vos ireis, Senhor, nem vos lembreis da iniquidade. Eis que a cidade do Santuário ficou deserta: Sião tornou-se deserta; Jerusalém está desolada. A casa da vossa santificação e da vossa glória, Onde os nossos pais vos louvaram
Rorate caeli desuper, et nubes pluant iustum.
Derramai, ó céus, o vosso orvalho do alto, e as nuvens chovam o Justo!
Peccavimus, et facti sumus tamquam immundus nos, et cecidimus quasi folium universi; et iniquitates nostrae quasi ventus abstulerunt nos: abscondisti faciem tuam a nobis, et allisisti nos in manu iniquitatis nostrae.
Pecamos e nos tornamos como os imundos, E caímos, todos, como folhas. E as nossas iniquidades, como um vento, nos dispersaram. Escondestes de nós o vosso rosto. E nos esmagastes pela mão das nossas iniquidades.
Rorate caeli desuper, et nubes pluant iustum.
Derramai, ó céus, o vosso orvalho do alto, e as nuvens chovam o Justo!
Vide, Domini, afflictionem populi tui, et mitte quem missurus es, emitte Agnum dominatorem terrae, de Petra deserti montem filiae Sion: ut auferat ipse iugum captivatis nostrae.
Olhai, ó Senhor, para a aflição do vosso povo, E enviai Aquele que estais para enviar! Enviai o Cordeiro dominador da terra. Da pedra do deserto ao monte da filha de Sião. Para que Ele retire o jugo do nosso cativeiro
Rorate caeli desuper, et nubes pluant iustum.
Derramai, ó céus, o vosso orvalho do alto, e as nuvens chovam o Justo!
Consolamini, consolamini, popule meus: cito veniet salus tua: quare moerore consumeris, quia innovavit te dolor? Salvabo te, noli timere: ego enim sum Dominus Deus, tuus, Sanctus Israel, Redemptor tuus.
Consola-te, consola-te, povo meu, em breve há de vir a tua salvação! Por que te consomes na tristeza, se a dor te renovou? Eu te salvarei, não tenhas medo! Porque Eu sou o Senhor, teu Deus, o Santo de Israel, o teu Redentor
Rorate caeli desuper, et nubes pluant iustum.
Derramai, ó céus, o vosso orvalho do alto, e as nuvens chovam o Justo!

Veni, Veni Emmanuel

Veni, veni, Emmanuel
captivum solve Israel,
qui gemit in exsilio,
privatus Dei Filio.

Gaude! Gaude! Emmanuel, nascetur pro te Israel!

Veni, O Sapientia,
quae hic disponis omnia,
veni, viam prudentiae
ut doceas et gloriae.

Veni, veni, Adonai,
qui populo in Sinai
legem dedisti vertice
in maiestate gloriae.

Veni, O Iesse Virgula,
ex hostis tuos ungula,
de spectu tuos tartari
educ et antro barathri.

Veni, Clavis Davidica,
regna reclude caelica,
fac iter tutum superum,
et claude vias inferum.

Veni, veni O Oriens,
solare nos adveniens,
noctis depelle nebulas,
dirasque mortis tenebras.

Veni, veni, Rex Gentium,
veni, Redemptor omnium,
ut salvas tuos fâmulos
peccati sibi conscios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário