segunda-feira, 15 de maio de 2017

Capítulo VI - A Epístola, gradual e outras coisas até o Ofertório



 1. Ditas as orações, o celebrante, com as mãos postas sobre o livro ou sobre o altar, de tal forma que as palmas toquem o livro, ou tomando o livro (como preferir), lê a Epístola com voz alta, sendo respondido pelo ministro: Deo gratias, e semelhantemente, estando de pé do mesmo modo, prossegue o Gradual, Alleluia, e o Tractus, e a Sequencia, se forem ditos.
Tendo-os dito, o sacerdote, nas Missas Rezadas, ele mesmo, ou o ministro leva o livro missal para o outro lado do altar no lado do Evangelho, e quando passa diante do meio do altar, inclina a cabeça à Cruz, e coloca o missal de tal modo que a parte posterior do próprio livro esteja voltada para o mesmo lado do altar, e não para a parede, ou para o lado dele que está diretamente contra si.
2. Tendo colocado o missal no altar, o celebrante retorna ao meio do altar, e estando aí de pé e com as mãos juntas ante o peito, e com os olhos elevados a Deus, e voltando-os imediatamente para baixo, em seguida profundamente inclinado, diz em voz baixa: Munda cor meum, e Iube, Domine, benedicere. Dominus sit in corde meo, como no Ordinário. Tendo dito isto, vai ao livro do missal, onde estando de pé voltado para ele, com as mãos juntas ante o peito, diz com voz inteligível: Dominus vobiscum. R: Et cum spiritu tuo.
Em seguida, faz o sinal da cruz com o polegar direito primeiramente sobre o início do Evangelho que será lido, depois sobre si mesmo na fronte, na boca, e no peito, dizendo: Sequentia, ou, Initium sancti Evangelii, etc., R: Gloria tibi, Domine. Então, com as mãos novamente juntas ante o peito, estando de pé, como acima, prossegue o Evangelho até o fim. O qual tendo terminado, o ministro, de pé no lado da Epístola depois do ínfimo degrau do altar, responde: Laus tibi, Christe, e o sacerdote, elevando um pouco o livro, oscula o princípio do Evangelho, dizendo: Per evangélica dicta, etc., exceto nas Missas dos defuntos, e a menos que se celebre diante do Sumo Pontífice, do Cardeal e Legado da Sé Apostólica, ou do Patriarca, Arcebispo e Bispo no lugar das suas residências, caso em que o livro é levado a cada um dos citados acima para ser osculado, e depois o celebrante não o oscula, nem diz: Per evangélica dicta.
Quando, porém, se diz o nome IESUS inclina a cabeça ao livro; e do mesmo modo genuflete voltado para o livro, quando no Evangelho se deve fazer uma genuflexão.

3. Dito o Evangelho, de pé no meio do altar voltado para a Cruz, elevando e estendo as mãos, inicia o Credo (se deve ser dito); quando diz: in unum Deum, junta as mãos, e inclina a cabeça para a Cruz; que, ereto, estando de pé e igualmente com as mãos juntas ante o peito, como antes, prossegue até o fim. Quando diz: Iesum Christum, inclina a cabeça para a Cruz. Quando diz: Et incarnatus est, genuflete até o et Homo factus est inclusive. Quando diz: simul adoratur, inclina a cabeça para a Cruz. Quando diz: Et vitam venturi saeculi. Amen, faz o sinal da cruz sobre si com a mão direita da fronte ao peito.[1]

***
Título original: Ritus servandus in celebratione Missae
Caput: VI – De Epistola, graduali et aliis usque ad offertorium




[1] Para isso, conforme os autores, o padre pode tocar a fronte e no peito ao dizer Et vitam, no ombro esquerdo ao Venturi e no ombro direito ao Saeculi, sem juntar as mãos em seguida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário