sexta-feira, 23 de junho de 2017

Missa da festa do Sagrado Coração de Jesus

Festa de I classe, com Glória e Credo, paramentos brancos

A oração da Igreja venera e honra o Coração de Jesus, como invoca o seu Santíssimo nome. Adora o Verbo encamado e seu Coração, que por nosso amor se deixou traspassar por nossos pecados. A oração cristã gosta de seguir o caminho da cruz (Via-Sacra), seguindo o Salvador. As estações, do Pretório ao Gólgota e ao Túmulo, marcam o caminho de Jesus, que resgatou o mundo por sua santa Cruz (CIC §2669). Jesus conheceu-nos e amou-nos a todos durante sua Vida, sua Agonia e Paixão e entregou-se por todos e cada um de nós: "O Filho de Deus amou-me e entregou-se por mim" (Gl 2,20). Amou-nos a todos comum coração humano. Por esta razão, o sagrado Coração de Jesus, traspassado por nossos pecados e para a nossa salvação, "praecipuus consideratur index et symbolus... illius amoris, quo divinus Redemptor aeternum Patrem hominesque universos continenter adamat - é considerado o principal sinal e símbolo daquele amor com o qual o divino Redentor ama ininterruptamente o Pai Eterno e todos os homens" (CIC §478)
O coração é a casa em que estou, onde moro (segundo expressão semítica ou bíblica: aonde eu "desço"). Ele é nosso centro escondido, inatingível pela razão e por outra pessoa; só o Espírito de Deus pode sondá-lo e conhecê-lo. Ele é o lugar da decisão, no mais profundo de nossas tendências psíquicas. E o lugar da verdade, onde escolhemos a vida ou a morte. E o lugar do encontro, pois, à imagem de Deus, vivemos em relação; é o lugar da Aliança (CIC §2563)

INTRÓITO
(Sl 32,11.19 e 1)
COGITATIÓNES Cordis ejus in generatióne et generatiónem: ut éruat a morte ánimas eórum et alat eos in fame. PS. Exsultáte, justi, in Dómino, rectos decet collaudátio. Gloria Patri. Cogitatiónes.
SEU CORAÇÃO pensa, de geração em geração, para livrar da morte as suas almas e para nutri-los na fome. SL. Exultai, ó justos, no Senhor, aos retos fica bem glorificá-lO. Glória ao Pai. Seu Coração.

COLETA
DEUS qui nobis, in Corde Fílli tui, nostris vulneráto peccátis, infinítos dilectiónis thesáuros misericórditer largíri dignáris; concéde, quǽsumus, ut illi devótum pietátis nostræ præstántes obséquium, dignæ quoque satisfactiónis exhibeámus offícium. Per eúmdem Dóminum.
Ó Deus. que vos dignais dar-nos bondosamente os infinitos tesouros de vosso amor no Coração de vosso Filho, ferido por nossos pecados; concedei-nos, vos suplicamos, que, ao oferecer-lhe o devoto obséquio de nossa piedade, lhe ofereçamos também o obséquio de uma digna reparação. Pelo mesmo Senhor.

EPÍSTOLA
(Ef 3,8-19)
Léctio Epistolae Beati Pauli Apostoli ad Ephésios.
I
rmãos, a mim, o menor de todos os santos, foi dada esta graça: anunciar aos pagãos a riqueza insondável de Cristo e mostrar claramente a todos como se realiza o seu plano escondido, desde toda a eternidade em Deus, que tudo criou. Assim, doravante, os principados e as potestades celestes conhecem, por meio da Igreja, a multiforme sabedoria de Deus, de acordo com o projeto eterno que ele executou no Cristo Jesus, nosso Senhor. Em Cristo, pela fé que temos nele, conseguimos plena liberdade de nos aproximar confiantemente de Deus.      Por isso, eu vos peço que não desanimeis por causa das tribulações que suporto por vós; é a vossa glória. Por essa razão, dobro os joelhos diante do Pai,   de quem recebe o nome toda paternidade no céu e na terra. Que por sua graça, segundo a riqueza de sua glória, sejais robustecidos, por meio do seu Espírito, quanto ao homem interior. Que ele faça Cristo habitar em vossos corações pela fé, e que estejais enraizados e bem firmados no amor. Assim estareis capacitados a entender, com todos os santos, qual a largura, o comprimento, a altura, a profundidade;  conhecereis também o amor de Cristo, que ultrapassa todo conhecimento, e sereis repletos da plenitude de Deus.

GRADUAL
(Sl 24,8-9)
DULCIS et rectus Dóminus, propter hoc legem dabit delinquéntibus in via. V. Diriget mansuétos in judício, docébit mites vias suas.
O SENHOR é bom e reto; por isso, Ele dá aos pecadores a Lei para a seguirem. V. Conduz os dóceis pela justiça e ensina os seus caminhos aos que são mansos.

ALELUIA
(Mt 11,29)
ALLELÚIA, allelúia. V. Tóllite jugum meum super vos et díscite a me, quia mitis sum, et húmilis Corde, et inveniétis réquiem animábis vestris. Allelúja.
ALELUIA, aleluia. V. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim que sou manso e humilde de Coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Aleluia.

EVANGELHO
(Jo 19,31-37)
Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joannem.
N
aquele tempo, (como era o dia de preparação do sábado, e este seria solene) para que os corpos não ficassem na cruz no sábado, os judeus pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas dos crucificados e os tirasse da cruz. Os soldados foram e quebraram as pernas, primeiro a um dos crucificados com ele e depois ao outro. Chegando a Jesus, viram que estava morto. Por isso, não lhe quebraram as pernas, mas um soldado golpeou-lhe o lado com uma lança, e imediatamente saiu sangue e água. Aquele que viu dá testemunho, e o seu testemunho é verdadeiro; ele sabe que fala a verdade, para que vós, também, acrediteis. Isto aconteceu para que se cumprisse a Escritura que diz: “Não quebrarão nenhum dos seus ossos”. E um outro texto da Escritura diz: “Olharão para aquele que traspassaram”.                                            
Credo

OFERTÓRIO
(Sl 68,21)
IMPROPÉRIUM exspectávit Cor meum misériam, et sustínui qui simul mecum contristarétur et non fuit: consolántem me quæsívi et non invéni.
MEU CORAÇÃO só recebeu desprezos e ingratidões, e esperei que alguém se contristasse comigo, mas não houve ninguém. Busquei quem me consolasse, mas não achei.

SECRETA
Respice, quǽsumus, Dómine, ad ineffábilem Cordis dilécti Fílli tui caritátem: ut quod offérimus sit tibi munus accéptum et nostrórum expiátio delictórum. Per eúmdem Dominum.
Considerai, Senhor, nós vos pedimos, o amor inefável do Coração de vosso amado Filho; para que a nossa oferenda vos agrade e nos purifique de nossos pecados. Pelo mesmo Nosso Senhor.

PREFÁCIO DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS
V. Dominus vobiscum.
R. Et cum spíritu tuo.
V. Sursum corda.
R. Habémus ad Dóminum.
V. Gratias agamus Domino Deo nostro.
R. Dignum et justum est.
V. O Senhor seja convosco.
R. E com o vosso espírito.
V. Corações ao alto.
R. Já os temos no Senhor.
V. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
R. É digno e justo.
VERDADEIRAMENTE é digno e justo, e igualmente salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus: que quisestes fosse traspassado pela lança de um soldado, o vosso Filho Unigênito suspenso na Cruz, para que, aberto o seu Coração, santuário da liberalidade divina, derramasse sobre nós torrentes de graças e de misericórdia, e ardendo sem cessar de amor por nós, fosse ele descanso para as almas piedosas e para as almas penitentes, refúgio de salvação. E por isso com os Anjos e os Arcanjos, com os Tronos e as Dominações, e com toda a milícia do exército celestial, cantamos hinos à vossa glória, dizendo sem fim:


ANTÍFONA DA COMUNHÃO
(Jo 19,34)
UNUS mílitum láncea latus ejus apéruit, et contínuo exívit sanguis et aqua.
UM SOLDADO abriu Seu lado com uma lança, e no mesmo instante saiu Sangue e água.

PÓSCOMUNHÃO
PRǼBEANT nobis, Dómine Jesu, divínum tua sancta fervórem: quo dulcíssimi Cordis tui suavitáte percépta, discámus terréna despícere, et amáre cæléstia: Qui vivis.
Ó Senhor Jesus, vossos Mistérios infundam em nossas almas um divino fervor, com o qual, provada a suavidade de vosso dulcíssimo Coração, aprendamos a desprezar os bens terrenos e amar os bens celestes. Vós que viveis.

Ver, baixar ou imprimir em PDF:
Voltar ao Próprio da Missa

Nenhum comentário:

Postar um comentário