segunda-feira, 18 de julho de 2016

Missa do X Domingo depois de Pentecostes

II classe, com Glória e Credo, paramentos verdes


“Meu Deus, tem compaixão de mim, que sou pecador!”
Santo Agostinho faz a seguinte observação sobre o proceder do fariseu do Evangelho de hoje: para este homem estava o gênero humano dividido em duas categorias, uma constituída por um único indivíduo (ele mesmo), e outra constituída pelos demais homens, os quais eram todos perversos, adúlteros, injustos e ladrões (cf. Sermo 36, De Verbis Domini).
Do mesmo modo procede todo orgulhoso que tem a si mesmo como superior a todos e diferente de todos, embora não diga.  
Para combater este espírito de orgulho é que a Liturgia traz hoje na Epístola de São Paulo essa ideia de que tudo é dom, tudo é dado por Deus, nada temos de próprio.
Sejamos honestos diante de Deus e reconheçamo-nos, como o publicano, pobres pecadores, para assim merecermos que Deus faça brilhar sobre nós o Seu poder, usando para conosco de misericórdia (cf. Coleta) e nos alimentar e ajudar com Seus sacramentos (cf. Poscomunhão).

INTRÓITO
(Sl 54,17-23.2-3)
CUM clamárem ad Dóminum, exaudívit vocem meam, ab his, qui appropínquant mihi: et humiliávit eos qui est ante sǽcula, et manet in ætérnum: jacta cogitátum tuum in Dómino, et ipse te enútriet. PS. Exaudi, Deus, oratiónem meam, et ne despéxeris deprecatiónem meam: inténde mihi, et exáudi me. Glória Patri. Cum clamárem.
QUANDO invoco ao Senhor Ele ouve minha voz, me livra daqueles que marcham contra mim: e os humilha, Ele que é desde antes dos séculos e permanece para sempre. Põe tua sorte no Senhor e Ele te sustentará.  SL. Ouvi, ó Deus, a minha oração, e não rejeites minhas súplicas: atendei-me e escutai-me. Glória ao Pai. Quando invoco.

COLETA
DEUS, qui omnipoténtiam tuam parcéndo máxime et miserándo maniféstas: multíplica super nos misericórdiam tuam; ut ad tua promíssa curréntes, cæléstium bonórum fácias esse consórtes Per Dóminum.
Ó DEUS, que fazeis brilhar sobre tudo a vossa onipotência pelo perdão e pela clemência, multiplicai sobre nós a vossa misericórdia para que, procurando as vossas promessas, nos façais participar dos bens celestiais. Por Nosso Senhor.

EPÍSTOLA
(I Cor. 12,2-11)
Léctio Epístolæ beáti Pauli Apostoli ad Corinthios.
I
rmãos, sabeis que, quando ainda pagãos, éreis como que desviados e levados para o culto dos ídolos mudos. Por isso, agora eu vos declaro que ninguém, falando sob influência do Espírito de Deus, vai dizer: “Jesus seja maldito”, como também ninguém será capaz de dizer: “Jesus é Senhor”, a não ser sob influência do Espírito Santo. Há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. Há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. Há diferentes atividades, mas é o mesmo Deus que realiza tudo em todos. A cada um é dada a manifestação do Espírito, em vista do bem de todos. A um é dada pelo Espírito uma palavra de sabedoria; a outro, uma palavra de conhecimento segundo o mesmo Espírito. A outro é dada a fé, pelo mesmo Espírito. A outro são dados dons de cura, pelo mesmo Espírito. A outro, o poder de fazer milagres. A outro, a profecia. A outro, o discernimento dos espíritos. A outro, diversidade de línguas. A outro, o dom de as interpretar. Todas essas coisas as realiza um e o mesmo Espírito, que distribui a cada um conforme quer.

GRADUAL
(Sl 16,8.2)
DÓMINE, Custódi me, Dómine, ut pupíllam óculi: sub umbra alárum tuárum prótege me. V. De vultu tuo judícium meum pródeat: óculi tui vídeant æquitátem.
SENHOR, guardai-me como a pupila dos olhos: ao abrigo da sombra de vossas asas protegei-me. V. Vossa boca fale em meu favor e vossos olhos vejam minha retidão.

ALELUIA
(Sl 64,2)
ALLELÚIA, allelúia. V. Te decet hymnus, Deus, in Sion: et tibi reddétur votum in Jerúsalem. Allelúja.
ALELUIA, aleluia. V. A vós, ó Deus, se devem hinos em Sião, e a vós se ofereçam votos em Jerusalém. Aleluia.


EVANGELHO (Lc 18,9-14)
+ Sequentia sancti Evangelii secundum Lucam.
N
aquele tempo, a alguns que confiavam na sua própria justiça e desprezavam os outros, Jesus contou esta parábola: “Dois homens subiram ao templo para orar. Um era fariseu, o outro publicano. O fariseu, de pé, orava assim em seu íntimo: ‘Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros, ladrões, desonestos, adúlteros, nem como este publicano. Jejuo duas vezes por semana e pago o dízimo de toda a minha renda’. O publicano, porém, ficou a distância e nem se atrevia a levantar os olhos para o céu; mas batia no peito, dizendo: ‘Meu Deus, tem compaixão de mim, que sou pecador!’ Eu vos digo: este último voltou para casa justificado, mas o outro não. Pois quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado”.
                                                                                                                                   Credo

OFERTÓRIO
(Sl 24,1-3)
AD TE, Dómine, levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam: neque irrídeant me inimíci mei: étenim univérsi, qui te exspéctant, non confundéntur.
A VÓS, Senhor, elevo minha alma: meu Deus, em vós busco meu refúgio, que eu não fique envergonhado nem se riam de mim meus inimigos; ninguém que espera em vós será confundido.

SECRETA
CONCÉDE Tibi, Dómine, sacrifícia dicáta reddántur: quæ sic ad honórem nóminis tui deferénda tribuísti, ut éadem remédia fieri nostra præstáres. Per Dóminum.
SENHOR, dignai-vos aceitar o sacrifício que nos é dado oferecer-vos para a maior glória do vosso Nome, e para que ele seja para a nossa salvação. Por Nosso Senhor.

PREFÁCIO DA SANTÍSSIMA TRINDADE
V. Dominus vobiscum.
R. Et cum spíritu tuo.
V. Sursum corda.
R. Habémus ad Dóminum.
V. Gratias agamus Domino Deo nostro.
R. Dignum et justum est.
V. O Senhor seja convosco.
R. E com o vosso espírito.
V. Corações ao alto.
R. Já os temos no Senhor.
V. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
R. É digno e justo.
VERDADEIRAMENTE é digno e justo, e igualmente salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus: Que sois, com o Vosso Filho Unigênito e com o Espírito Santo, um só Deus e um só Senhor, não na singularidade duma só Pessoa, mas na Trindade duma só substância. Porque tudo aquilo que nos revelastes e cremos da Vossa glória, isso mesmo sentimos, sem diferença nem distinção, do Vosso Filho e do Espírito Santo, de maneira que, confessando a verdadeira e eterna Divindade, adoramos a propriedade nas Pessoas, a unidade na Essência e a igualdade na Majestade, a qual louvam os Anjos e os Arcanjos, os Querubins e os Serafins, que não cessam de cantar dizendo a uma só voz:

ANTÍFONA DA COMUNHÃO
(Sl 50,21)
QUI Acceptábis sacrifícium justítiæ, oblatiónes, et holocáusta, super altáre tuum, Dómine.
ACEITAREIS, Senhor os sacrifícios santos, os holocaustos e oblações sobre vosso altar.

PÓSCOMUNHÃO
TUI Quǽsumus, Dómine Deus noster: ut quos divínis reparáre non désinis sacraméntis, tuis non destítuas benígnus auxíllis. Per Dóminum.
SENHOR nosso Deus, nós vos rogamos não priveis de vossos auxílios aqueles que vos dignais reparar com vossos sacramentos. Por Nosso Senhor.

Ver, baixar ou imprimir em PDF:

Voltar ao Próprio da Missa

Nenhum comentário:

Postar um comentário